RSS

Bennie Green Quintet (1960) (Repost)

19 fev

Bennie Green nasceu em Chicago, em 16 de abril de 1926. Foi um dos poucos trombonistas dos anos 50 não diretamente influenciado por J.J. Johnson, seu toque tinha referências plantadas no swing e no R&B, embora fosse um músico antenado nas conquistas harmônicas do bebop. Começou a destacar-se em Chicago e, de 1942 à 1948, tocou no combo do veterano pianista Earl Hines. Ganha uma grande visibilidade trabalhando com o saxofonista Charlie Ventura entre 1948-50, volta a trabalhar com Hines em 51-53 e forma seu próprio quinteto, com o qual trabalharia regularmente até meados dos anos 60.
Ouviremos o quinteto do trombonista Bennie Green em gravação realizada em 1960 para o pequeno selo Bainbridge. Destaque para o pianista Sonny Clark e o sax tenor de Jimmy Forrest. Repertório com três originais de Clark, um standard, um original de Harold Ousley e uma ellingtoniana.
Green faleceu em 23 de março de 1977, após passar seus últimos anos trabalhando nos hotéis e cassinos de Las Vegas. Deixou uma extensa carreira discográfica e escreveu seu nome entre os grandes do instrumento no panteão do jazz.
Bennie Green (tb); Jimmy Forrest (ts); Sonny Clark (p); George Tucker (b); Alfred Dreares (d)
1- Sometimes I’m Happy (V. Youmans)
2- It’s Time (S. Clark)
3- Solitude (D. Ellington)
4- Sonny’s Crip (S. Clark)
5- Cool Struttin’ (S. Clark)
6- And That I Am So In Love (H. Ousley)
Anúncios
 
 

6 Respostas para “Bennie Green Quintet (1960) (Repost)

  1. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 at 1:19 PM

     
  2. Érico Cordeiro

    21 de fevereiro de 2010 at 4:30 AM

    Mauro, o Bennie Green é um trombonista finíssimo – pena que suas gravações sejam tão raras de encontrar (eu tenho apenas o Trombone By Three, com ele, o Kai Winding e o J. J. Johnson).E essa formação é espetacular – aliás, tudo que o Sonny Clark mete a mão é espetacular, não é mesmo?Grande abraço e ótima lembrança!

     
  3. HotBeatJazz

    21 de fevereiro de 2010 at 1:52 PM

    Mr. Érico,o Green é mesmo especial, e nesta gravação em particular, secundado pelo Sonny Clark e o nosso estimado Jimmy Forrest, ele toca super estimulado.Abração pra vc, meu amigo

     
  4. APÓSTOLO

    22 de fevereiro de 2010 at 12:35 AM

    Parabéns prezado MAURO:Bela resenha com resgate de um músico mais que especial.Gravação bem pinçada, coisa fina ! ! !

     
  5. HotBeatJazz

    23 de fevereiro de 2010 at 3:00 PM

    Mestre Apóstolo,obrigado pela opinião e presença nesta tua casa. Volte sempre!

     
  6. Baron

    28 de outubro de 2010 at 8:42 AM

    Thanks for the Green Time album … Baron

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: