RSS

HotBeatJazz 10′ Series – Sonny Rollins Quintet – 10’LP PRLP 186 (1954)

01 abr

Théodore Walter – mais conhecido como Sonny – Rollins, nasceu em New York, em 1929. Quando adolescente, se reunia com seus amigos de vizinhança para tocar jazz, era uma turma de peso: Kenny Drew, Jackie McLean, Art Taylor, e o irmão caçula do gênio do piano bop Bud Powell, Richie Powell. Era uma rapaziada tão endiabrada que aos 19 anos Sonny já estava apto a tocar com grandes nomes do jazz como Bud Powell, Fats Navarro e J. J. Johnson. Foi contratado em 1950 por Bob Weinstock para fazer parte do catálogo da gravadora Prestige, onde produziria boa parte de sua obra, definitiva e fortemente influenciadora na formação dos saxofonistas modernos.

 

O LP em foco, foi gravado em agosto de 1954, com Rollins liderando um quinteto que trazia na linha de frente, a seu lado, o exímio trompetista Kenny Dorham. Dorham foi um músico bastante negligenciado, seu toque se equipara aos grandes estilistas do instrumento, é dono de um fraseado meticulosamente elaborado, emissão e timbre perfeitamente trabalhados, e um dos maiores quando o assunto é tocar bebop. A seção rítmica traz outro “underrated”, o pianista Elmo Hope, outro Nova Iorquino, forjado nos anos de ouro do bebop. Hope não conseguiu ter uma carreira regular, gravou pouco e faleceu prematuramente, em 1967, vítima de pneumonia. O contrabaixo foi executado pelo seguro e competente Percy Heath, e na bateria, atuando sob seu nome de adoção no islamismo por questões contratuais, Abudullah Buhaina, mais conhecido como Art Blakey.

 

Movin’ Out abre o disco, um bebop de tirar o fôlego, onde Rollins mostra a profunda influência de Charlie Parker em sua maneira de tocar. Kenny Dorham tem uma participação luminar, com um solo primoroso em arquitetura melódica. Elmo mostra economia nos acompanhamentos da mão esquerda, enquanto com a direita produz um fraseado percurssivo de intenso swing.

 

Swinging For Bumsy é outro bebop onde Rollins e Dorham pairam absolutos. O solo de Kenny é um dos pontos altos da sessão, um fraseado completo, com stacattos e legattos intercalados, mostrando o absoluto domínio da técnica. Mais uma vez Elmo Hope executa uma mão esquerda que chega a sugerir o antigo estilo stride.

 

Silk ‘N’ Satin é a balada da sessão, Rollins paga seu tributo a Dexter Gordon, um dos maiores baladistas do tenor moderno e grande influência na maneira de Rollins tocar.

 

Solid, é uma das mais instigantes composições de Sonny Rollins, na essência um bebop, porém já apontando na direção do hardbop. A bateria de Blakey faz acentuações primorosas, cruzando um terreno onde ele é mestre absoluto.

 

Esta gravação do quinteto de Sonny Rollins foi uma das responsáveis por vários músicos, principalmente os saxofonistas, torcerem o pescoço na direção de um som nôvo, vigoroso, que começava a ecoar e que viria a influenciar várias gerações de músicos.

* Uma excelente biografia de Elmo Hope pode ser encontrada no Jazz + Bossa +Baratos Outros

Kenny Dorham (tp) Sonny Rollins (ts) Elmo Hope (p) Percy Heath (b) Art Blakey (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, August 18, 1954

 

1- Movin’ Out (take 606)
2- Swinging For Bumsy (take 607)
3- Silk ‘N’ Satin (take 608)
4- Solid (take 609)
 

6 Respostas para “HotBeatJazz 10′ Series – Sonny Rollins Quintet – 10’LP PRLP 186 (1954)

  1. Anonymous

    1 de abril de 2010 at 2:22 AM

     
  2. Érico Cordeiro

    1 de abril de 2010 at 3:40 AM

    Grande Mauro,Esse seu baú de resenhas e discos parece inesgotável.Tanta coisa maravilhosa, disponibilizada aos amantes do jazz de forma tão generosa! E que trabalho de pesquisa – é preciso um fôlego de nove gatos para isso!Uma pequena interrogação: você tem esses LPs de 10' originais, com capinha e tudo ou você pega as músicas do cd e as disponibiliza na forma como foram lançadas na época.Porque se realmente você tem os disquinhos, meu amigo, trata-se de um tesouro de valor incalculável!!! Outra perggunta: se você tiraa aas músicas do disco, qual o programa ou equipamento que usa para passar o som para o computador?Bom, espero não estar sendo inconveniente – coisas de jazzófilo apaixonado, que você entende muito bem (afinal você é muuuuuuito mais louco por jazz do que eu – rs, rs, rs)!!!Abração e parabéns (no jazz + bossa há postagens sobre o Sonny Rollins e o Elmo Hope, basta clicar no marcador corresponddente).

     
  3. HotBeatJazz

    1 de abril de 2010 at 2:07 PM

    Grande Érico,alguns eu tenho sim, mas eu procuro montar a partir de cd's. Os 10' que possuo foram, em sua quase totalidade, comprados em sêbos, estando totalmente inutilizados como fonte de áudio, possuem somente um valor sentimental. Existem uns poucos sites na net que disponibilizam algumas capas, então meu trabalho é basicamente remontar os álbuns na forma original. Foi ótimo vc tocar no assunto das biografias do teu blog, passarei a colocar links para elas, pois tua pesquisa é completa e escrita de maneira única, no bom estilo Érico Cordeiro.Abraço meu amigo!

     
  4. YESALEL

    1 de abril de 2010 at 2:56 PM

    Mauro, che fa il suo blog per essere unicoè il tuo buon gusto, e senza dubbio la suamodo peculiare, che anche per un laicoE 'molto chiaro e affascinante per comprendere la storia del jazz.Ho capito! 🙂 rs..Sonny con il suo stile sincopato, sperimentale anticipato molto di quello che più tardi nel 1960 era free jazz.Grazie.Sto imparando tanto con te…questo è ciò che mi importa solo.baci

     
  5. Sergio

    1 de abril de 2010 at 4:45 PM

    Eu tbm tenho uma ou duas perguntas: quantos álbuns de 10' vc imagina q ainda estão por vir? Eu os quero todos! E como já te disse, abri uma pasta "Mauro 10'" só pra juntar essas preciosidades, então o q contece? Contece q a pasta tem q ficar no HD até o veio inteiro secar, pra não dividir o arquivo Mauro 10’ em um ou mais DVDs, sacou?A outra pergunta é onde ou quais, se forem várias, são suas fontes de capas? Isso muito me interessa. Ter o disco e não ter nem a menor idéia de como era a capa é algo q me incomoda por demais.Pra te facilitar o trabalho te digo q minhas fontes são o amazon, CD Universe, as variedades q encontro, geralmente em blogs e sites sobre determinado artista, um site legal q posta capas completas “Megasearch” http://www.mega-search.net/ – mas q é muito mais especializada em rock, embora ali encontre pelo menos os medalhões do jazz… E essa Megasearch tbm dá acesso a outros sites com o mesmo objetivo, mas tudo tbm mais pro rock. Acho q isso é tudo. Se tiveres fontes diferentes, please, por favor por obséquio…Abraços e continue o bom trabalho!

     
  6. HotBeatJazz

    1 de abril de 2010 at 8:41 PM

    Grande Sérgio,vamos à la Jack, por partes!1- serão numa primeira fase 20 discos de 10', depois virão mais, mas darei um tempo, pra postar outras coisas, tipo, o Tommy Potter por exemplo. Daí vc tira uma média de tamanho e reserva teu espaço. Fico muito feliz que vc tenha gostado tanto da iniciativa.2- Com muito prazer te dou a direção de onde encontrar capas de jazz. O mais bacanudo é um trabalho feito por japoneses, lá vc vai achar 10' e qse tudo da Blue Note, Prestige e Verve, anota aí http://www.gokudo.co.jp/Record/WVocal1/index.htm o site tem um layout meio confuso, mas é disparado o melhor de todos. Tema as capas e as fichas técnicas, exelente fonte pra pesquisas.Outro é o http://jazz-premium.com/index.html tem menos material, mas tb é legal. Também é japones! Tem um blog bem legal tb http://coverjazz.canalblog.com/basicamente são esses os locais de garimpagem de capas-jazzEspero que tenha te ajudado, abração e boa colheita!

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: