RSS

Arquivo diário: 5 de setembro de 2010

HotbeatJazz 10′ Series – Lou Mecca Quartet – 10’LP BLP 5067 (1955)

Louis John Meccia – Lou Mecca – nasceu em 23 de dezembro de 1926, em Passaic, New Jersey. Filho de imigrantes italianos, seu pai foi trompetista em algumas orquestras sinfônicas na Itália e na América, iniciou seus estudos de música aos 8 anos de idade, no instrumento de seu pai, o trompete. O garoto, pequeno e franzino, não se adaptou muito bem ao trompete e logo depois iniciou o estudo da guitarra na The Master School of Music, onde pagava 50 cents por aula e ainda tinha uma guitarra da escola para praticar. Lou abandonou a High School no quarto ano para se tornar músico profissional tocando em um bar de Passaic como integrante de um quarteto. Lou recorda: “Nós sabíamos sete músicas e as tocávamos por toda a noite”. Por esta época, Lou iniciou o que viria a ser sua atividade principal, que lhe garantiria o sustento, lecionar música em uma escola de New Jersey. Por alguns anos Lou viveria de ensinar música e tocar nos finais de semana em bares de N.J.

 

Em 1947, Lou conheceu o guitarrista Johnny Smith. A primeira vez que Lou o ouviu, Smith estava tocando trompete na banda do exército. A partir desta amizade, Lou voltaria a se dedicar também ao trompete, abandonado na infância, tendo inclusive tocado por uma temporada inteira na Orquestra Sinfônica de Clifton. No início dos anos 50 trabalhou com grupos de pouca expressão como: Archie Bleyer, Julius LaRosa, e acompanhando vocalistas como Joni James e Alan Dale. Ganhou alguma projeção ao gravar com o saxofonista Gil Mellé para a Blue Note, seu toque foi tão especial que 1 ano após gravaria com seu quarteto este seu primeiro álbum, também para a Blue Note.

 

Nesta sessão realizada em 25 de março de 1955 nos estúdios de Rudy Van Gelder, Lou se faz acompanhar pelo vibrafonista Jack Hitchcock, pelo contrabaixista Vinnie Burke e pelo baterista Jimmy Campbell. No repertório, standards clássicos como: All The Things You Are, The Song Is You, Just One Of Those Things, You Go To My Head; o sucesso de Gerry Mulligan, Bernie’s Tune e um tema original de seu amigo pianista Stan Purdy, Stan’s Invention.

 

Em All The Things You Are, Lou faz um delicado trabalho de contraponto ao vibrafone de HItchcock. Em You Go To My Head, Lou executa um belo trabalho no estilo single-note, ele e Sal Salvador tornaram-se mestres nesta forma tocar a guitarra. The Song Is You tem uma suingante interpretação do quarteto, com destaque para o trabalho de Jimmy Campbell nas escovas.

 

Lou Mecca foi um dos mais underrateds guitarristas deste prolífico período do instrumento na história do jazz. Somente viria a gravar seu segundo álbum como líder em 1999, a somente quatro anos de sua morte, acontecida em 2003.

 

Jack Hitchcock (vib) Lou Mecca (g) Vinnie Burke (b) Jimmy Campbell (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, March 25, 1955

 

1- All The Things You Are
2- You Go To My Head
3- Bernie’s Tune
4- Stan’s Invention
5- The Song Is You
6- Just One Of Those Things

http://ouo.io/Xfk0AV

 

HotBeatJazz 10′ Series – Bud Shank – And Three Trombones 10’LP PJLP-14 (1954)

Bud Shank dividiu, nos anos 50, com Art Pepper a preferência entre os apreciadores do west-coast jazz no saxofone alto. Herb Geller e Lennie Niehaus também tinham seus adeptos, porém Shank e Pepper se tornaram a referência no instrumento para aqueles que apreciavam o movimentado cenário jazzístico oriundo da Califórnia. Tanto que na eleição da revista Down Beat em 1954, Shank foi eleito New Star no saxofone alto, desbancando seus colegas da Califórnia e os inúmeros altoístas em atividade na costa leste, a maior vitrine do jazz do período.

 

Neste mesmo ano de 1954, Shank gravou um álbum muito especial para a gravadora Pacific Jazz, Bud Shank And Three Trombones, disco que contou com os arranjos e composições do saxofonista Bob Cooper e as participações de três exímios trombonistas da costa oeste: Bob Enevoldsen, Stu Williamson e uma das raras oportunidades de se ouvir o conhecido trompetista canadense Maynard Ferguson atuando no trombone valvulado. A seção rítmica trazia o excelente pianista Claude Williamson e os super requisitados Joe Mondragon no contrabaixo e Shelly Manne na bateria. Às composições e os arranjos de Bob Cooper foram incluídas duas baladas do repertório popular americano: Little Girl Blue e You Don’t Know What Love Is. Cooper construiu ricas harmonias executadas pelos trombones que produzem um contraste de timbres ao saxofone alto do líder, um legítimo Parkeriano por excelência. Wailing Vessel tornou-se um clássico do west-coast, sendo revisitado por Shank em vários álbuns posteriores. Valve In Head é uma aula de arranjo ofertada por Bob Cooper e um tema de suingue contagiante. Shank produz um solo incendiário culminando em um break apoiado pela bateria sutil e melódica de Shelly Manne, de atuação destacada na faixa. Joe Mondragon inicia Cool Fool com um elegante walkin’ bass, com Shank e os trombones valorizando a escrita do arranjador. Mobile foi outro tema muito revisitado nas gravações da west-coast. Manne e Claude Williamson iniciam Baby’s Birthday Party, um tema repleto de cores tonais e de atmosfera típica do jazz da Califórnia.

 

Bud Shank And Three Trombones é um dos pontos altos do jazz da Califórnia e da discografia deste virtuose do saxofone alto.

 

Bud Shank (as); Bob Enevoldsen (tb); Maynard Ferguson (valv tb); Stu Williamson (tb); Claude Williamson (p); Joe Mondragon (b); Shelly Manne (d); Bob Cooper (arr)
Recorded in Hollywood, April and June 1954

 

1- Valve In Head
2- Cool Fool
3- Little Girl Blue
4- Mobile
5- Wailing Vessel
6- Baby’s Birthday Party
7- You Don’t Know What Love Is
8- Sing Something Simple

 

 http://ouo.io/k0HXi