RSS

Arquivo mensal: outubro 2010

HotBeatJazz 10′ Series – Frank Foster Quintet – Here Comes BLP 5043 (1954)

Frank Benjamin Foster nasceu em Cincinnati, Ohio, em 23 de setembro de 1928. Após ter se dedicado ao estudo do saxofone e clarinete no High School e na Wilberforce University, mudou-se para Detroit em 1949, onde tocou com Wardell Gray, importante tenorista da banda Count Basie. Convocado para servir ao exército em 1951, permaneceu longe do meio musical até maio de 1953, quando foi desligado da força. Logo após foi contratado por Count Basie, seguindo recomendações com a chancela de nomes importantes como Ernie Wilkins e Billy Eckstine. Frank iniciou seu trabalho com a orquestra em julho de 1953, sua importância para o grupo foi de tal ordem que assumiu a direção musical da banda ainda nos anos cinquenta e sua direção após a morte de Basie nos anos oitenta. O jovem Frank assumiu, com dignidade e competência, a tradição da estante de sax tenor de uma orquestra que já havia contado com Lester Young, Herschell Evans e Don Byas.

 

O som de Frank Foster traz em seu corpo a energia e vigor da escola de Coleman Hawkins e o lirismo e modernidade da de Lester Young. Frank foi um dos mais completos saxofonistas do jazz, não obtendo entre o público em geral o valôr e reconhecimento. Ele foi uma referência no som de importantes tenoristas do jazz moderno, tais como Benny Golson e John Coltrane. Possui também um enorme talento para a confecção de modernos arranjos e originais composições.

 

Frank Foster gravou sua primeira sessão como líder para a Blue Note em maio de 1954, a frente de um quinteto integrado pelo excelente trombonista Bennie Powell, o pianista Gildo Mahones, e soberba seção rítmica com o contrabaixista Percy Heath e o baterista Kenny Clarke. Cinco entre as seis composições do álbum atestam a capacidade especial de Foster como compositor. Little Red é um tema de altíssimo suingue, com solos de Foster, Powell, Mahones e Clarke. How I Spent The Night é uma balada de melodia impecável, uma amostra inconteste da superior capacidade do líder como compositor. Blues For Benny tem no drive imposto por Kenny Clarke uma atração à parte. O standard Out Of Nowhere mostra o baladista de frases inteligentes e originais que é Frank Foster. Gracias é uma rumba de melodia muito atraente, com um trabalho consistente de todo o quinteto. The Heat’s On é um blues em dó com andamento médio, uma composição típica para um músico com tão longa associação com a orquestra de Basie.

 

Frank Foster sofreu um derrame cerebral que comprometeu os movimentos de seu lado esquerdo, encerrando a carreira musical de um dos mais especiais tenoristas do jazz.

 

Benny Powell (tb) Frank Foster (ts) Gildo Mahones (p) Percy Heath (b) Kenny Clarke (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, May 5, 1954

 

1- Little Red
2- How I Spent The Night
3- Blues for Benny
4- Out Of Nowhere
5- Gracias
6- The Heat’s On
Anúncios
 

HotBeatJazz 10′ Series – Max Roach and Clifford Brown – In Concert GNP 7 (1954)

Em agôsto de 1954, Max Roach e Clifford Brown haviam chegado a formação ideal do quinteto que co-liderariam pelos próximos dois anos, até a trágica morte do trompetista e do pianista Richie Powell em um acidente. Com a chegada de Richie e do baixista George Morrow, de NYC, e a inclusão definitiva do saxofonista tenor Harold Land, o quinteto estava pronto para iniciar as gravações para o sêlo Emarcy, ocorridas nos dias 2,3,5 e 6 daquele mês. No dia 11, Roach e Brown gravariam uma data em um hepteto formado por músicos da California e do pianista Kenny Drew. No dia 13, Brown terminaria de gravar as faixas finais de seu álbum com ensemble, já postado no blog, e no dia 14 ambos atuariam como sidemen para antológicas faixas da cantora Dinah Washngton. Em 30 de agôsto o quinteto estava de volta ao California Club para mais uma apresentação que seria gravada pelo produtor Gene Norman.

 

Quatro faixas foram lançadas na série Gene Norman Presentes, dois originais jazzísticos: Jordu, do pianista Duke Jordan, e Parisian Thoroughfare, do também pianista Bud Powell, a referência do piano bop e irmão mais velho do pianista do quinteto, Richie Powell. Dois standards completariam o repertório: I Can’t Get Started e I Get A Kick Out Of You. O grupo é apresentado como Max Roach All Stars com Clifford Brown e atacam numa esplêndida leitura de Jordu. Brownie esbanja sua técnica virtuosística ao trompete, com emissão perfeita e construção de idéias musicais impecáveis para um, ainda, jovem músico. Harold Land mostra em seu solo sua profunda devoção ao estilo fluido de Lester Young. Land foi musicalmente um gêmeo do grande tenorista Hank Mobley. Richie Powell tem um estilo mais contido que seu famoso irmão Bud, porém com um riqueza harmônica de absoluto brilho. Max é puro drive e energia, o Papa da bateria bop. I Can’t Get Started é toda de Clifford Brown, que a apresenta em uma leitura eivada de lirismo e beleza. Brownie estava alguns degraus acima dos trompetistas de sua geração, e não à toa, se tornou a referência no instrumento para um sem número de trompetistas dos anos 50. I Get A Kick Out Of You e Parisian Thoroughfare, trazem o quinteto, novamente, em arranjos que se tornariam antológicos no jazz.

 

Cliffor Brown foi o centro, a estrêla luminar, deste quinteto que entrou definitivamente para a história do jazz como um dos mais perfeitos jazz-combos.

 

 

Clifford Brown (tp) Harold Land (ts) Richie Powell (p) George Morrow (b) Max Roach (d) Gene Norman (ann)
“California Club”, Los Angeles, CA, August 30, 1954

 

1- Jordu
2- I Can’t Get Started
3- I Get a Kick Out of You
4- Parisian Throughfare

 

Hot Beat Jazz