RSS

Arquivo da categoria: albert dailey

Charlie Rouse Band – Cinnamon Flower (1977)

“Cinnamon Flower” é uma declaração de amor a música brasileira feita pelo saxofonista Charlie Rouse, o fiel escudeiro de Thelonious Monk durante os anos 60 no célebre e influente quarteto do pianista. Apreciador da música de Pindorama desde o início da década de 60, mais precisamente 1961, quando repercutiu em NYC a bossa-nova, atravéz de músicos que estiveram no Rio e em São Paulo tocando no American Jazz Festival, promovido pelo departamento de estado americano. Neste álbum, ainda da era do vinyl, gravado em 1977, Rouse traz a nata dos músicos brasileiros que na época estavam fixados na área de NYC: O antológico pianista Dom Salvador, atuando como diretor musical do grupo; o trompetista Cláudio Roditi e o baterista Portinho. O restante do grupo é formado por craques do jazz e do latin-jazz como Ron Carter, Albert Dailey, Wayman Reid, Ted Dunbar e Carlos Martinez. Nos arranjos sente-se a mão de mestre de Dom Salvador, com tintas que nos arremetem a Banda Abolição e a sucessora Black Rio.
Um álbum clássico da bela simbiose entre jazz e música brasileira.
Charlie Rouse (ts), Dom Salvador (p), Albert Dailey (el-p), Richard Powell (syn), Ron Carter (b), Wilbur Bascomb, Jr. (el-b), Wayman Reid, Claudio Roditi (tp), Lou Orensteen (fl), George Davis, Ted Dunbar (g), Amauri Tristao (acG/per), Ulysses Kirksey, Jesse Levy (cel), Bernard “Pretty” Purdie (d), Portinho, Steve Thornton (per, d), Carlos Martinez (cga)

http://ouo.io/03IjtZ

Anúncios
 

Tom Harrell – Play of Light (1982)

O trompetista Tom Harrell nasceu em 1946 na cidade de Urbana, no Illinois e começou a tocar aos 8 anos de idade. Em 1969 graduou-se na Stanford University e foi incorporado a orquestra de Stan Kenton, no ano seguinte mudou para a organização de Woody Herman onde permaneceu até 1971. Conseguiu uma maior projeção ao se juntar ao quinteto do célebre pianista Horace Silver em 1973, onde permaneceria por cinco anos. A partir de então trabalharia com inúmeros astros do jazz como Lee Konitz, George Russell, Mel Lewis, Charlie Haden, Bill Evans e Dizzy Gillespie entre outros. Na década de 80 seria integrante fundamental no quinteto do saxofonista Phil Woods, grupo que seria premiado várias vezes pelo reader’s poll da revista especializada Down Beat. Harrell permaneceu no grupo até 89, quando partiu para uma bem sucedida carreira como líder de grupo.
“Play of Light” é seu segundo trabalho gravado como solista principal. A formação traz um sexteto com destaque para o saxofonista Ricky Ford, o guitarrista Bruce Forman e o pianista Albert Dailey como solistas. A cozinha é de altíssimo nível, com os veteranos Eddie Gomez no contrabaixo e Billy Hart na bateria. Tom Harrel além de um virtuose no trompete é também um compositor de excelência, como pode ser conferido na faixa título com tintas de hardbop e no instigante bop “Blue News”. O intérprete especial fica evidente na pungente balada “Everything Happens To Me”, onde Harrel paga seu tributo ao mestre de todos, Clifford Brown. Tom Harrell continua em plena atividade, gravando e se apresentando por todo o mundo, tendo se convertido em um dos grandes do jazz na atualidade.
Tom Harrell: trumpet; Ricky Ford: tenor sax; Bruce Forman: guitar; Albert Dailey: piano; Eddie Gomez: bass; Billy Hart: drums
1. Play of light
2. Everything happens to me
3. The boulevard
4. Mood swings
5. Blue news
6. Where you were