RSS

Arquivo da categoria: bobby hutcherson

Bobby Hutcherson – Ambos Mundos (1989)

“Ambos Mundos” do vibrafonista Bobby Hutcherson é um caso único na discografia do músico a cruzar a ponte que liga duas fortes correntes musicais: o jazz e a música afro-cubana. Um aspecto dominante neste idioma são os fortes elementos rítmicos que compartilham a mesma herança musical do jazz e tem frequentemente influenciado o curso deste. Hutcherson é a muito reconhecido como um dos ícones do vibrafone, o qual é basicamente um instrumento de percussão, no qual sua música tem sempre dado ênfase aos aspectos melódicos tanto na interpretação como na composição. Seu objetivo maior neste trabalho foi construir uma música percussiva e melódica, jazz e afro-cubana. “Ambos Mundos” não é um disco rotineiro de Latin-jazz. A fórmula escolhida foi cercar-se de músicos com os quais ele já estava amplamente habituado a trabalhar e alguns dos mais expressivos músicos cubanos fixados na California: O conguero Francisco Aguabela, o timbalero Orestes Vilato e o percussionista Roger Glenn, este último filho do veterano trombonista Tyree Glenn. A seção rítmica é completada pelo pianista Smith Dobson, pelo contrabaixista Jeff Chambers e o baterista Eddie Marshall. James Spaulding, velho companheiro de Bobby em antológicas gravações nos anos 60, participa exclusivamente na flauta e o guitarrista Randy Vincent completam o time. A maioria dos temas foram compostos por Hutcherson especialmente para a ocasião, não se limitando ao tradicional esquema de 12 ou 32 compassos. Há também um tema composto por Eddie Marshall, “Yelapa” e dois standards do repertório jazzístico: “Tin Tin Deo” de Dizzy Gillespie e Chano Pozo e o bolero “Besame Mucho”, temas em que a guitarra é tocada pelo excelente Bruce Forman. “Ambos Mundos” é uma bem estruturada ponte entre dois mundos, duas culturas, diversas e complementares, que sempre se influenciaram mútuamente.

Bobby Hutcherson (vb, marimba); James Spaulding (fl); Randy Vincent (g); Bruce Forman (g)*; Smith Dobson (p); Jeff Chambers (b); Eddie Marshall (d); Francisco Aguabela (congas); Orestes Vilato (timbales); Roger Glenn (perc).

Recorded August-September, 1989 at Fantasy Studios, Berkeley, CA

1- Pomponio

2- Tin Tin Deo*

3- Both Worlds (Ambos Mundos)

4- Street Song

5- Beep D’Bop

6- Poema Para Ravel

7- Yelapa

8- Besame Mucho*

 

 

Bobby Hutcherson Sextet – Components (1965)

Um dos principais discos do vibrafonista Bobby Hutcherson para a Blue Note. Os músicos são de primeira linha, como atestam a presença de Freddie Hubbard e Herbie Hancock. Destaque para Tranquility e Little B’s Poem dois clássicos do repertório do músico.
Freddie Hubbard (tp) James Spaulding (as, fl) Bobby Hutcherson (vib, mar) Herbie Hancock (p, org) Ron Carter (b) Joe Chambers (d)
Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, June 10, 1965
1- Components
2- Tranquility
3- Little B’s Poem
4- West 22nd Street Theme
5- Movement
6- Juba Dance
7- Air
8- Pastoral
 

McCoy Tyner – Land of Giants (2003)

Em Land of Giants o pianista, compositor e bandleader McCoy Tyner se utiliza de um formato pouco habitual, o quarteto composto por trio rítmico básico e um vibrafone. A escolha dos músicos como sempre é impecável, o veterano parceiro Bobby Hutcherson ao vibrafone, a competência de Charnett Moffett ao contrabaixo e a segurança de Eric Harland na bateria. No repertório, originais de McCoy Tyner como a brasileiríssima Serra do Mar, a leitura carregada de latinidade de The Search e standards do repertório jazz como a garneriana leitura solo de For All We Know, a bela December e o clássico If I Were A Bell. Duke Ellington é uma referência constante na música de McCoy e sua interpretação de In a Mellow Tone é repleta de anima e stamina. McCoy continua o mesmo de sempre, inventivo ao extremo mas com sua marca musical pessoal impressa em tudo que faz. Ele é capaz de nos transportar aos salões enfumaçados dos bordeis de New Orleans com suas acentuações stride de mão esquerda e imediatamente nos jogar no futuro com suas concepções harmônicas sempre arriscadas, tendo feito escala na agilidade de um Art Tatum e no idioma bop de um Bud Powell. Tudo em um único tema. McCoy é isso! Um furacão de piano jazz !

McCoy Tyner: Piano; Bobby Hutcherson: Vibes; Charnett Moffett: Bass; Eric Harland: Drums

1. Serra Do Marr

2. December

3. Steppin’

4. If I Were A Bell

5. Manalyuca

6. Back Bay Blues

7. For All We Know

8. The Search

9. Contemplation

10. In a Mellow Tone

 
2 Comentários

Publicado por em 10 de fevereiro de 2009 em bobby hutcherson, charnett moffett, eric harland, mccoy tyner