RSS

Arquivo da categoria: chico batera

Jack Wilson – Plays Brazilian Mancini Special Guest Tony Brazil (a.k.a Tom Jobim) (1965)

Jack Wilson é um músico sobre o qual não se tem muitas informações, sei que atuou junto ao vibrafonista Roy Ayers na primeira metade da década de 60 e fez algumas gravações com o trompetista Clark Terry. “Plays Brazilian Mancini” foi gravado no início de 65, no auge da febre da bossa nova. Tom Jobim estava desde o final do ano anterior em Los Angeles cuidando da versão das letras de suas músicas junto a Ray Gilbert. Tom havia assinado um contrato de exclusividade com a gravadora Verve, estava envolvido com as versões e preparava “The Wonderful World Of Antonio Carlos Jobim”, disco que seria gravado com arranjos de Nelson Riddle. O baixista Tião Neto estava trabalhando com Jack Wilson juntamente com Chico Batera e quando soube que Jack estava procurando um violonista imediatamente pensou em Tom. Segundo conta Helena, irmã de Tom, na biografia escrita por ela, Tião foi até a casa de Tom e foi uma luta para convence-lo a aceitar o trabalho. Tom alegava a exclusividade exigida no contrato e Jack propôs que ele usasse um pseudônimo. Tião Neto logo inventou um: “Tony Brazil”. Assim surgiu esta bela gravação das músicas de Henri Mancini com Tom Jobim ao violão. O resto é história, deste que foi o mais refinado compositor popular brasileiro, que carregava o Brasil no pseudônimo, em seu próprio nome: Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim e nas centenas de músicas maravilhosas que compôs, segundo ele, todas inspiradas pela Mata Atlântica que cobria o país de norte a sul. Esta mente brilhante se extinguiu a exatos 15 anos atráz em 8 de dezembro de 1994. Como diria seu amigo e parceiro Vinícius de Morais; Saravá Tomzinho!
Jack Wilson – piano; Roy Ayers – vibes; Chico Batera – drums; Sebastião Neto – bass; Tony Brazil (a.k.a. Tom Jobim ) – guitar
Gravado em Los Angeles, CA, 1965
1- Blue Satin
2- Days of Wine and Roses
3- Sally’s Tomato
4- Sofitly
5- Lujon
6- Mr. Lucky
7- Brekfast At Tiffanys
8- Dear Heart
9- Night Flower
 

Victor Assis Brasil Quarteto – Desenhos (1966)

Victor Assis Brasil foi, e é até hoje, o jazzista brasileiro por excelência. Apesar de uma formação musical desde a infância só aos 17 anos começou a se interessar pelo saxofone, aos 22 já gravava “Desenhos”, seu primeiro disco como líder de combo. E nesse jovem Victor já se podia notar a forte influência de sua principal referência no sax alto, Phil Woods. Mas não foi só como saxofonista que ele surpreendia aos frequentadores do Beco das Garrafas, suas composições tinham a consistência e maturidade de um músico completamente formado, como se pode notar em 4 faixas: “Devaneio”, “Dueto”, “Eugenie” e na faixa título. Mas para um gênio muito é sempre pouco, e lá foi ele para completar seus estudos na Berkelee, retornando ao Brasil definitivamente em 1974.
“Desenhos” traz um quarteto de altíssimo nível, o piano notável de Tenório Jr, o seguro contrabaixo de Edison Lôbo e a bateria do Chico, o “batera”. A capa é sóbria mas de muito bom gosto, como em todos os discos da gravadora Forma de Roberto Quartim.
Victor nos deixou prematuramente aos 35 anos em 1981, mas deixou também algumas centenas de composições, a maioria até hoje ainda inéditas apesar do esforço de seu irmão João Carlos, também músico, de levá-las ao conhecimento do público. Prematuro, também, foi o desaparecimento de Tenório Jr. de nosso convívio, deixando uma lacuna que, somada à deixada por Victor, é praticamente impossível de ser preenchida.
* No blog do amigo Carlos Braga, CB Latin Jazz Corner, pode-se tomar contato com o único disco de Tenório Jr como líder, “Embalo”, tão bom quanto tudo que Tenorinho produziu em sua curta passagem entre nós.
Victor Assis Brasil – sax alto; Tenório Jr. – piano; Edison Lôbo – contra-baixo; Chico “Batera” – bateria
1 – Naquela base (João Donato)
2 – Devaneio (Victor Assis Brasil)
3 – Primavera (Carlos Lyra – vinicius de Moraes)
4 – Simplesmente (Edison Lôbo)
5 – Feitiço da vila (Noel Rosa – Vadico)
6 – Dueto (Victor Assis Brasil)
7 – Amor de nada (Marcos Valle-Paulo Sérgio Valle)
8 – Eugenie (Victor Assis Brasil)
9 – Minha saudade (João Donato-João Gilberto)
10 – Desenhos (Victor Assis Brasil)
 
3 Comentários

Publicado por em 1 de fevereiro de 2009 em chico batera, edison lôbo, tenório jr, victor assis brasil