RSS

Arquivo da categoria: elvin jones

Marcus Roberts – The Truth Is Spoken Here (1988)

Marcus Roberts nasceu em Jacksonville, Florida, em 7 de agôsto de 1963, e já aos cinco anos de idade se interessava pelo piano. Cego desde tenra idade, estudou na Florida School for the Deaf and the Blind, local por onde também passou o gênio Ray Charles, e mais tarde, graduou-se na Florida State University. Ganhou proeminência a partir de 1985, quando passou a trabalhar com o trompetista Wynton Marsalis. “The Truth Is Spoken Here” é seu primeiro álbum como líder e foi gravado em 1988, sob a indicação de Wynton e com produção de Delfeayo Marsalis. Marcus compôs cinco originais dos oito temas gravados na sessão, que contou com a participação de Wynton ao trompete, Reginald Veal no contrabaixo e Elvin Jones na bateria. O saxofonista Charlie Rouse atua em três temas: “Country By Choice”, “In A Mellowtone” e “Nothin’ But The Blues”, sendo esta sua última sessão de gravação, ele viria a falecer cinco meses após. Outro convidado é o partner de Marcus no combo de Wynton, o saxofonista Todd Williams, presente em “Maurella” e na faixa título. Em “Blue Monk” o pianista faz uma interpretação solo, onde mostra a forte influência de Thelonious Monk e dos estilistas do piano-stride como James P. Johnson, Willie “The Lion” Smith e Jelly Roll Morton. “Single Petal of a Rose”, de Duke Ellington, é outro tema realizado em piano solo, em uma pungente leitura desta bela composição. “The Truth Is Spoken Here” é um magnífico início de uma carreira discográfica que já chega a 20 álbums, de um músico, que apesar das limitações físicas impostas pela vida, soube como ninguém, olhar para a tradição do jazz e projetar uma música voltada para o futuro.
Marcus Roberts (p); Wynton Marsalis (tp); Reginald Veal (b); Elvin Jones (b); Charlie Rouse (ts)*; Todd Williams (ts)°
Recorded at RCA Studios, NYC, 26-27, July, 1988
1- The Arrival (M. Roberts)
2- Blue Monk (T. Monk)
3- Maurella (M. Roberts)°
4- Single Petal Of A Rose (D. Ellington – B. Strayhorn)
5- Conutry By Choice (M. Roberts)*
6- The Truth Is Spoken Here (M. Roberts)°
7- In A Mellow Tone (D. Ellington)*
8- Nothin’ But The Blues (M. Roberts)*
 

Elvin Jones – McCoy Tyner Quintet – Love & Peace (1982)

O encontro do baterista Elvin Jones e do pianista McCoy Tyner co-liderando um quinteto que traz Pharoah Sanders no sax tenor e Richard Davis no contrabaixo, já da uma completa ideia da música contida em “Love & Peace”, é Coltrane puro!! Elvin e McCoy foram a sustentação rítmica e harmônica do quarteto de Coltrane na primeira metade da década de 60, Pharoah Sanders o sucessor do som de John Coltrane e seu partner na segunda metade da mesma. Há ainda a participação de Jean-Paul Bourelly na guitarra. O repertório traz 3 originais de Pharoah Sanders: “Little Rock’s Blues”, a instigante “Hip Jones” e a bossa “Origin”. McCoy contribui em uma releitura da sua composição “For Tomorrow” e executa em trio um de seus standards favoritos, “Sweet And Lovely”. O quinteto faz ainda uma lírica leitura de “Korina” de Gene Perla.
Qualquer gravação que traga McCoy e Elvin tocando juntos é sempre uma amostra da mais alta relevância da arte chamada jazz, em seu mais alto nível.
Pharoah Sanders (ts) McCoy Tyner (p) Jean-Paul Bourelly (g) Richard Davis (b) Elvin Jones (d) Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, April 13 & 14, 1982
1- Little Rock’s Blues (P. Sanders)
2- Hip Jones (P. Sanders)
3- Korina (G. Perla)
4- For Tomorrow (M. Tyner)
5- Sweet And Lovely (Arnhein – Lemare)
6- Origin (P. Sanders)

 

John Coltrane Septet – Olé Coltrane (1961)

“Olé Coltrane” foi gravado em 1961 e foi o último álbum do saxofonista para a Atlantic, dois dias antes já com contrato com sua nova gravadora, a Impulse, Coltrane estava nos estúdios de Rudy Van Gelder gravando o seminal “Africa/Brass” com uma formação de orquestra. No dia 25 de maio de 1961 ele estava no A&R Studios em NYC, a frente de um hepteto completando seu contrato com Ahmed Ertegun. “Olé Coltrane”, com apenas 3 faixas na versão original em LP, trouxe ao público composições que figurariam entre as mais importantes da obra do gênio: “Dahomey Dance” e a belíssima “Aisha”. A faixa título, de estrutura ambiciosa, ocupava todo o lado A do LP e na posterior versão em CD uma balada sem título, depois batizada de “To Her Ladyship”, foi incluída. Coltrane se apresenta com seu quarteto habitual acrescido dos fenomenais Eric Dolphy, Freddie Hubbard e de um segundo contrabaixista, Art Davis. O álbum é um ítem indispensável a qualquer discoteca de jazz e fundamental para o conhecimento com propriedade da obra do gênio.
Freddie Hubbard (tp) John Coltrane (ss, ts) Eric Dolphy (as, fl) McCoy Tyner (p) Art Davis (b -1,2,4) Reggie Workman (b -1/3) Elvin Jones (d)
A&R Studios, NYC, May 25, 1961
1- Olé (Coltrane)
2- Dahomey Dance (Coltrane)
3- Aisha (Coltrane, Tyner)
4- To Her Ladyship (Frazier)
 

John Coltrane Quartet – Coltrane (1962)

O clássico quarteto de Coltrane em uma sessão para a Impulse gravada entre Abril e Junho de 1962. Destaque para “Out of This World” de Johnny Mercer e uma versão de “Soul Eyes” de Mal Waldron. Coltrane colabora com duas composições originais: “Tunji” e “Miles’ Mode”, além de duas faixas bonus: “Big NIck” e “Up ‘Gainst the Wall”. De música menos intensa do que outros álbuns da mesma época mas nem por isso de menor qualidade.
John Coltrane (ss, ts) McCoy Tyner (p) Jimmy Garrison (b) Elvin Jones (d)
Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, April 11, June 19, 20, 29, 1962.
1. Out of this World (Harold Arlen/Johnny Mercer)
2. Soul Eyes (Mal Waldron)
3. The Inch Worm (Frank Loesser)
4. Tunji (John Coltrane)
5. Miles’ Mode (John Coltrane)
6. Big Nick (John Coltrane)
7. Up ‘Gainst the Wall (John Coltrane)

http://ouo.io/Fkrg3

 
1 comentário

Publicado por em 17 de março de 2009 em elvin jones, jimmy garrison, john coltrane, mccoy tyner