RSS

Arquivo da categoria: eric dolphy

John Coltrane Septet – Olé Coltrane (1961)

“Olé Coltrane” foi gravado em 1961 e foi o último álbum do saxofonista para a Atlantic, dois dias antes já com contrato com sua nova gravadora, a Impulse, Coltrane estava nos estúdios de Rudy Van Gelder gravando o seminal “Africa/Brass” com uma formação de orquestra. No dia 25 de maio de 1961 ele estava no A&R Studios em NYC, a frente de um hepteto completando seu contrato com Ahmed Ertegun. “Olé Coltrane”, com apenas 3 faixas na versão original em LP, trouxe ao público composições que figurariam entre as mais importantes da obra do gênio: “Dahomey Dance” e a belíssima “Aisha”. A faixa título, de estrutura ambiciosa, ocupava todo o lado A do LP e na posterior versão em CD uma balada sem título, depois batizada de “To Her Ladyship”, foi incluída. Coltrane se apresenta com seu quarteto habitual acrescido dos fenomenais Eric Dolphy, Freddie Hubbard e de um segundo contrabaixista, Art Davis. O álbum é um ítem indispensável a qualquer discoteca de jazz e fundamental para o conhecimento com propriedade da obra do gênio.
Freddie Hubbard (tp) John Coltrane (ss, ts) Eric Dolphy (as, fl) McCoy Tyner (p) Art Davis (b -1,2,4) Reggie Workman (b -1/3) Elvin Jones (d)
A&R Studios, NYC, May 25, 1961
1- Olé (Coltrane)
2- Dahomey Dance (Coltrane)
3- Aisha (Coltrane, Tyner)
4- To Her Ladyship (Frazier)
Anúncios
 

Oliver Nelson Septet – The Blues And The Abstract Truth (1961)

Existem alguns álbuns realmente fundamentais na história fonográfica do Jazz que, sejam pela concepção, performance dos músicos, registro de momento histórico ou reuniões especiais, se tornaram de escuta imprescindível. The Blues And The Abstract Truth de Oliver Nelson Septet é um desses que se enquadram em todos os motivos listados. Stolen Moments é utilizada até hoje como modelo no aprendizado da técnica musical do improviso, os solos de todos os músicos são perfeitas obras de arte em arquitetura harmônica e beleza melódica, além de ser uma das raras oportunidades de se apreciar o som especial do Oliver Nelson saxofonista, pois seu imenso talento e conhecimento como arranjador o mantiveram pouco ativo em seu instrumento. A presença de sidemen do quilate de Eric Dolphy, Bill Evans, Freddie Hubbard, Paul Chambers e Roy Haynes já mostra o nível do registro. Ouçam e aprendam nessa essencial aula de jazz moderno.
Freddie Hubbard (tp -1/4,6) Eric Dolphy (as, fl) Oliver Nelson (as, ts, arr) George Barrow (bars -1/4,6) Bill Evans (p) Paul Chambers (b) Roy Haynes (d). Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, February 23, 1961
1- Stolen Moments
2- Hoe-Down
3- Cascades
4- Butch And Butch
5- Teenie’s Blues
6- Yearnin’