RSS

Arquivo da categoria: Kenny Garrett

Steve Turre – Rainbow People (2008)

Se o arco-íris do título deste álbum significar diversidade musical, então não haveria melhor utilização do que no caso do trombonista Steve Turre, já que a bagagem musical deste é formado por diversas cores. Turre está igualmente em casa tocando ritmos latinos, blues ou jazz straight-ahead. Seu aprendizado inclui participação no combo de Roland Kirk, no de seu amigo Ray Charles, colaborações com os mestres do latin-jazz Tito Puente e Hilton Ruiz, longas associações com os trompetistas Woody Shaw e Dizzy Gillespie, e também com o pianista McCoy Tyner. Todas estas influências são percebidas em “Rainbow People”.
Parte do sucesso do álbum reside na familiaridade entre os músicos, todos colaboradores entre si já de longa data, com exceção de Sean Jones, o qual Turre convidou após ouvi-lo numa jam session em NYC. Jones participa de três, das nove faixas do álbum, alternando entre timbres quentes e doces, como em “Para El Comandante”, e de sonoridade mais metálica como em “Midnight in Madrid”. O mesmo acontece com o saxofonista Kenny Garrett, que participa em quatro faixas, com um toque forte e uma construção de solos plenos de paciência e imaginação. Em “Segment” de Charlie Parker, Garrett tem uma maravilhosa participação, como era de se esperar.
O blues “Brother Ray” é, provavelmente, um dos melhores tributos já prestados a Ray Charles desde seu falecimento em 2004, evocando sua voz e espírito com perfeição. Turre faz dois magníficos solos, o primeiro com o instrumento aberto e o último utilizando a surdina, sendo este, após um belíssimo solo do contrabaixista Peter Washington. Mulgrew Miller contribui com um acompanhamento que revela o lado gospel/blues de seu estilo.
A seção rítmica de Peter Washington e Ignacio Berroa é responsável pelo intenso swing que permeia toda a música de “Rainbow People”. Eles conduzem a vibração blues de velhos tempos em “Groove Blues”, um blues lânguido, com Garrett, Miller e Turre executando belos solos cada um. Mulgrew Miller está, como sempre, em grande forma, contribuindo com as necessidades da música que apresentam. Ele injeta o espírito de McCoy Tyner , e a influência de Coltrane na música de Turre é reforçada com a inclusão da bela composição de McCoy, “Search for Peace”.
As raízes latinas do trombonista ficam evidentes em “Midnight in Madrid”, com os metais em um estilo ibérico, e na peça de encerramento dedicada ao grande Mario Rivera, “Para El Comandante”, na qual Turre demonstra outra especialidade particular, o toque nas conchas, dando um tempero todo especial a essa saborosa salsa.
“Rainbow People” é um dos mais instigantes álbuns deste mestre do trombone jazz contemporâneo, um ítem imprescindível a qualquer estante dos apreciadores de jazz.
Steve Turre: trombone, shells (9); Kenny Garrett: alto saxophone (1,4,8,9); Sean Jones: trumpet, flugelhorn (2,5,9); Mulgew Miller: piano, keyboards; Peter Washington: bass; Ignacio Berroa: drums; Pedro Martinez: percussion (9).
1- Rainbow People (S. Turre)
2- Forward Vision (S. Turre)
3- Brother Ray (S. Turre)
4- Groove Blues (S. Turre)
5- Mightnight in Madrid (S. Turre)
6- Cleopatra’s Needle (W. Shaw)
7- Search For Peace (M. Tyner)
8- Segment (C. Parker)
9- Para El Comandante (S. Turre)
Anúncios
 

Charles Fambrough – The Charmer (1992)

Charles Fambrough é uma referência no contrabaixo desde que começou a ser percebido integrando o grupo de McCoy Tyner no final dos anos 70. Mas além disso, tambem se tornou um dos principais arranjadores e compositores do jazz mainstream contemporâneo. Integrou, ao lado dos irmãos Marsalis, os Jazz Messengers do lendário baterista Art Blakey e vem sendo, desde então, um dos mais requisitados contrabaixistas do jazz atual. “The Charmer” foi gravado em 1991 e 1992 para o selo CTI de Creed Taylor, e traz entre os inúmeros músicos participantes, talentos consagrados como o trompetista Roy Hargrove, os pianistas Kenny Kirkland, Abdulah Ibrahim, Bill O’Connell e Steve Scott, os saxofonistas Grover Washington Jr e Kenny Garrett, os bateristas Jeff “Tain” Watts, Billy Drummond e Yoron Israel, além dos percussionistas Bashiri Johnson e Doc Gibbs. Com uma turma de peso como essa é desnecessário ressaltar a qualidade das performances, e sim, salientar o alto nível das composições de Charles Fambrough. A faixa-título, “Oasis”, “Sparks” e “Little Man”são temas em levada straight-ahead, “Beautiful Love”, “Alycia/Andrea” e “Lullaby For Shana Bly” tem o foco na beleza das melodias. “The Charmer” é um álbum perfeito para se tomar contato com a arte deste baixista/compositor de nível superior chamado Charles Fambrough.
1- The Charmer (C. Fambrough)
2- Beautiful Love (A. Ibrahim)
3- Alycia/Andrea (C. Fambrough)
4- Oasis (C. Fambrough)
5- Lullaby For Shana Bly (G. Washington Jr)
6- Little Man (C. Fambrough)
7- Sparks (B. O’Connell)
Recorded and mixed by Rudy Van Gleder Recording Studios, Englewood Cliffs, NJ on October 22, 1991 and September 12-24, 1992.

http://ouo.io/9kmq7