RSS

Arquivo da categoria: marc johnson

Harold Danko – Alone But Not Forgoten (1986)

“Alone But Not Forgoten” é um trabalho minuscioso do pianista Harold Danko, músico de Ohio, onde nasceu em 1947. Atualmente é professor na Youngstown State University, mas traz em seu currículo trabalhos com Chet Baker, na orquestra de Woody Herman e na Thad Jones – Mel Lewis Big Band. Profundamente influenciado pela pianística de Bill Evans, Danko cercou-se de 2/3 do último trio de Bill para a gravação deste álbum: o contrabaixista Marc Johnson – em 3 faixas – e o baterista Joe LaBarbera, que também produziu arranjos de cordas para alguns temas. Em cinco faixas há a participação do contrabaixo de Michael Moore. Danko revelas nas notas de contracapa 3 trilhos básicos nos quais procurou desenvolver o repertório: O sentido de um “mood”, em que cita como referencias os álbuns “Kind Of Blue”, de Miles Davis, “Speak No Evil”, de Wayne Shorter, e “Live At The Village Vanguard” de Bill Evans; a melodia presente na música brasileira, via composições de Tom Jobim e nas figuras rítmicas do baterista Edison Machado; e a concepção da obra do pianista Bill Evans, seu mentor em piano jazz. Harold Danko se sai muito bem neste trabalho de caráter intimista, rico em nuances sonoras, com suas composições ladeadas a outras de grandes mestres como Cal Tjader – Liz Ann; Edú Lobo – O Circo Místico; e Bill Evans – Laurie, onde o cantor Bob Dorough faz uma particpação além de escrever a letra para este belo tema. Não se deixem levar pela capa um tanto cool do álbum, que chega a sugerir um trabalho tipo Richard Clayderman. “Alone But Not Forgoten” é um registro especial de um pianista que mostra de onde vem suas concepções, e coloca verdade e coração na música que produz.

 

Harold Danko – piano; Joe LaBarbera – drums, string arr; Marc Johnson – bass (2,6,8); Michael Moore – bass; Bob Dorough – vocal (8)
1- Wayne Shorter (H. Danko)
2- Martina (H. Dankko)
3- When Everything Gets Quiet (H. Danko)
4- Alone But Not Forgotten (H. Danko)
5- Liz Ann (C. Tjader)
6- Candlelight Shadows (H. Danko)
7- O Circo Mistico (E. Lobo)
8- Laurie (B. Evans – B. Dorough)

 

 
 

Andy LaVerne – Plays The Music Of Chick Corea (1986)

O pianista, compositor, arranjador e educador Andy LaVerne nasceu em NYC, em 4 de dezembro de 1947, graduou-se na Julliard School of Music, na Berklee College of Music e no New England Conservatory, além de ter sido aluno particular de Bill Evans. Já nos anos 70 atuou na orquestra de Woody Herman, gravou e participou de turnês com Stan Getz, Lionel Hampton, Dizzy Gillespie e Elvin Jones. Tem dedicado a maior parte de seu tempo ao trabalho como educador e produtor de material didático voltado ao ensino da música e das técnicas para piano. Não obstante, sua produção fonográfica não foi negligenciada e em “Plays The Music Of Chick Corea” ela atinge seu ápice. Fruto de um projeto que contou com a participação direta de Corea, quem escolheu os temas, na época do lançamento ainda inéditos, e também atuou como instrumentista em uma faixa, gravada em seu estúdio na Califónia, em duo pianístico com Andy. Os músicos convocados para a sessão são todos craques: John Abercrombie na guitarra, Danny Gottlieb na bateria, e no contrabaixo, um revezamento entre Marc Johnson ao baixo acústico e Mark Egan no elétrico. Todas as composições do álbum saídas da pena de Chick Corea ainda não tinham vindo à luz do público em gravações, exceção a “You’re Everything”, que foi escolhida, segundo Andy nas notas da contracapa, por ter uma harmonia na qual se pode enterrar os dentes com imenso prazer. A faixa de abertura, única composta por LaVerne, é uma homenagem de Andy ao compositor em foco. “Heart to Heart” foi composta e gravada alguns anos antes do projeto e é fruto de uma visita de LaVerne aos estúdios de Corea, em verdade uma improvisação inevitável entre os dois pianistas, dando utilidade aos dois Bossendorfer Grand Imperial do estúdio. Um grande álbum, feito por grandes músicos, interpretando um repertório de primeira linha. Não tem como dar errado!
Andy LaVerne – Yamaha C7 grand piano,Synclavier, Hammond B3 organ, Bosendorfer grand piano(11); John Abercrombie – electric guitar, acoustic guitar; Marc Johnson – acoustic bass(1,2,5,6,12,13); Mark Egan – electric bass(3,4,7,8,9); Danny Gottlieb – drums, percussion; Chick Corea – Bosendorfer grand piano(11)
Recorded and mixed at Sound Ideas Studios. N.Y.C., 1986.
Track 11 recorded at Mad Hatter Studios, Los Angeles, 1981
1- Chick Corea (Andy LaVerne)
2- Bill Evans (Chick Corea)
3- Cornucopia (Chick Corea)
4- Turnaround (Chick Corea)
5- Folk Song (Chick Corea)
6- Psalm (Chick Corea)
7- Ghost of Triengen (Chick Corea)
8- Softly As You Go (Chick Corea)
9- Like This (Chick Corea)
10- Romance (wrriten for John McLaughlin) (Chick Corea)
11- Heart To Heart (Andy LaVerne, Chick Corea)
12- You’re Everything (Chick Corea)
13- Blues For Liebestraum (Chick Corea)
 

Wolfgang Muthspiel – Marc Johnson – Brian Blade – Real Book Stories (2001)

Quando chegou nos EUA em 1986, o guitarrista Wolfgang Muthspiel era mais um, entre os inúmeros músicos do mundo, a buscar uma formação musical jazzística na terra do Tio Sam. Vindo da Áustria onde ao lado do irmão, o trombonista Christian, havia completado os estudos musicais voltados para a música erudita, Wolfgang graduou-se no New England Conservatoty, tendo estudado com Mick Goodrick e David Leisner. Em seguida matriculou-se na Berklee College of Music onde obteve graduação em 1989 e lá conheceu e estudou com Gary Burton, músico com raro talento para descobrir grandes guitarristas como Larry Coryell, Mick Goodrick, Pat Metheny e John Scofield. Foi no grupo de Burton que Wolfgang começou a se destacar nos EUA, tendo ocupado a vaga que a doze anos estava livre, desde a passagem de Metheny pelo quinteto. Nos anos seguintes tocou com músicos importantes na cena jazz mundial como: Dave Liebman, Peter Erskine, Paul Motian, Marc Johnson, Gary Peacock, Bob Berg, John Patitucci, Larry Grenadier, Brian Blade, entre outros. Em 2002, Wolfgang retornou à Áustria, de onde tem gerenciado sua prolífica carreira e um selo de sua propriedade, onde tem gravado os próprios álbuns assim como de grandes músicos da atualidade. “Real Book Stories” foi gravado em 2001, com a participação de Marc Johnson ao contrabaixo e Brian Blade na bateria. O repertório é formado por composições clássicas do jazz como: “Lament” de J. J. Johnson, “Blue in Green” de Bill Evans e Miles Davis, “Giant Steps” de Coltrane, assim como originais de Theloniuos Monk, Horace Silver e standards do porte de “All The Things You Are”, “Someday My Prince Will Come”, “I Hear Rhapsody” e “Liebeslied” de Kurt Weil. Wolfgang Muthspiel é um músico eclético, passeando com naturalidade por estilos tão diversos quanto o fusion, o avant-garde, o techno e a world music. “Real Book Stories” é uma perfeita sessão para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de ouvir este especial guitarrista tornarem-se fãs deste músico refinado.
Wolfgang Muthspiel: guitar; Marc Johnson: bass; Brian Blade: drums
1- Lament (J.J. Johnson)
2- All The Things You Are (Hammerstein, Kern)
3- Someday My Prince Will Come (F.E. Churchill)
4- I Hear Rhapsody (F. Baker)
5- Blue In Green (Miles Davis, Bill Evans)
6- Giant Steps (John Coltrane)
7- Peace (Horace Silver)
8- Liebeslied (Kurt Weill)
9- Ask Me Now (Thelonious Monk)
10- Solar (Miles Davis)
 
1 comentário

Publicado por em 30 de outubro de 2009 em Brian Blade, marc johnson, Wolfgang Muthspiel

 

Bill Evans & Toots Thielemans – Affinity (1978)

Affinity é o resultado do encontro de músicos ímpares na história do jazz, o pianista Bill Evans e o gaitista belga Toots Thielemans. Poucas reuniões em disco se igualam em lirismo e beleza à deste álbum gravado para a Atlantic em finais de 1978. Trinta anos se passaram e a música produzida permanece não só atual mas também futurista. As composições têm uma abordagem delicada, densa e complexa, com os protagonistas se completando e estimulando mutuamente. No repertório, standards como Body & Soul e Days of Wine And Roses; temas oriundos do pop – IDo It For Your Love, de Paul Simon e originais de Bill, já elevados a clássicos do jazz, como Blue in Green. A afinidade se estende ao restante do coeso grupo que os acompanham, com destaque para Marc Johnson e Eliot Zigmund, integrantes do trio regular do pianista. Quando chegar ao fim da última faixa, você com certeza, vai querer repetir. Isso é Affinity!
Larry Scheneider (as, ts, fl); Toots Thielemans (hca); Bill Evans (p, el-p); Marc Johnson (b); Eliot Zigmund (d) NYC, October 30 & 31, November 1 & 2, 1978
1 – I do it for your love
2 – Sno’ peas
3 – This is all I ask
4 – Days of wine and roses
5 – Jesus’ last ballad
6 – Tomato kiss
7 – Other side of midnight (Noelle’s theme)
8 – Blue in green
9 – Body and soul