RSS

Arquivo da categoria: paul chambers

Jimmy Heath Sextet – The Thumper (1959) (Re-up)

Nascido na Philadelphia em 1926, Jimmy Heath vem de uma família muito musical, seus irmãos Percy, contrabaixista e Albert, baterista, foram importantes músicos na cena jazzística. Sua cidade natal foi bêrço de incontáveis nomes que emergiram na segunda metade da década de 40 e 50: Philly Joe Jones, Lee Morgan, Bobby Tymmons, e os gigantes do sax tenor John Coltrane e Benny Golson, só para citar alguns. Jimmy começou sua carreira nos anos 40, mais precisamente em 1946, quando ao lado de Percy, organizou e liderou uma big band local que teve como integrantes Benny Golson e John Coltrane. Tocou no combo de Howard McGhee (47-48) e na orquestra de Dizzy Gillespie (49-50). Saxofonista, compositor, arranjador e educador, trabalhou com um grande número de músicos e teve suas composições e arranjos interpretados por gigantes como Miles Davis, John Coltrane, Chet Baker, e Art Pepper, entre outros. Apelidado de “Little Bird” por sua semelhança com o estilo de Charlie Parker no sax alto, no início dos anos 50 passou a se dedicar prioritariamente ao sax tenor, nesse instrumento tinha John Coltrane como grande apreciador de sua música. Em meados dos anos 70, organizou junto com seus irmãos o importante grupo “The Heath Brothers”.
“The Thumper”, gravado em 1959 para a Riverside, é um de seus mais apreciados álbuns até hoje, um verdadeiro marco na discografia de Jimmy Heath. Ao seu lado, na linha de frente, o cornetista Nat Adderley e o trombonista Curtis Fuller, secundados por uma precisa cozinha com o genial Wynton Kelly ao piano, Paul Chambers no contrabaixo e Albert Heath na bateria. No repertório, alguns standards e composições originais que se tornaram verdadeiros cavalos de batalha para muitos músicos, como “For Minors Only”, além de um blues de Wynton Kelly, “Who Needs It?”.
Discorrer sobre a música? “Who Needs It?”.

 

Nat Adderley (cor) Curtis Fuller (tb) Jimmy Heath (ts) Wynton Kelly (p) Paul Chambers (b) Albert “Tootie” Heath (d)
NYC, November 27, 30, 1959
1. For Minors Only
2. Who Needs It?
3. Don’t You Know I Care
4. Two Tees
5. The Thumper
6. New Keep
7. For All We Know
8. I Can Make You Love Me
9. Nice People
Anúncios
 

Hank Mobley Quartet – Soul Station (1960)

A discografia do saxofonista Hank Mobley é uma das mais extensas, tanto atuando como líder ou como sideman. Tendo começado sua carreira em gravações na banda de blues de Paul Gayten, Mobley sempre manteve o blues como ferramenta principal em sua música. Em “Soul Station”, um dos mais aclamados álbuns de sua carreira, blues é o assunto dominante mesmo quando inserido de forma camuflada em temas hardbop ou em standards da música norte americana. O trio que lhe acompanha é formado por músicos notáveis: Wynton Kelly, um dos pianistas mais bluesy do jazz; Paul Chambers no contrabaixo e o magnífico Art Blakey na bateria. Gravado em 1960 no auge do movimento hardbop, “Soul Station” se tornou um ítem obrigatório para os que desejam conhecer com propriedade o período, assim como para aqueles que desejam formar uma discoteca básica de jazz moderno. Com destaque para os originais “Dig Dis” e “This I Dig of You”, e para a canção “If I Shoul Lose You”, em uma de suas melhores leituras desde Charlie Parker. “Soul Station”, a faixa-título, também merece um lugar destacado no panteão das grandes composições do jazz. O álbum é simplesmente fundamental em qualquer estante que preze conter um mínimo de discos essenciais ao estilo.
Hank Mobley (ts) Wynton Kelly (p) Paul Chambers (b) Art Blakey (d)
Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, February 7, 1960
1- Remember? (Irving Berlin)
2- This I Dig Of You (Mobley)
3- Dig Dis (Mobley)
4- Split Feelin’s (Mobley)
5- Soul Station (Mobley)
6- If I Should Lose You (L. Robin – R. Rainger)

http://ouo.io/XRGRtD

 
3 Comentários

Publicado por em 11 de março de 2009 em art blakey, hank mobley, paul chambers, wynton kelly

 

Kenny Dorham Quartet – Quiet Kenny (1959)

O texano de Fairfield foi um músico muito atuante na cena bebop da segunda metade da década de quarenta, tendo atuado na orquestra de Dizzy Gillespie em 1945 e em vários combos bebop ao lado de Fats Navarro, Bud Powell, Sonny Stitt e outros. No final da década substituiu Miles no quinteto de Charlie Parker, com quem se apresentou no Festival de Jazz de Paris. Problemas de saúde relacionados a dependência química o afastaram da música até 1954 quando substitutiu Clifford Brown no quinteto de Art Blakey, ainda com Blakey trabalhou nos Jazz Messengers e montou seu próprio combo Jazz Prophets. Em 1956 substitui novamente Clifford no quinteto de Max Roach em decorrência da morte prematura deste. Na década de sessenta enfrentou sérios problemas de saúde que novamente o afastaram da música tendo retornado à cena em 1966. Faleceu em 1972 devido a insuficiência renal aos 48 anos.
Quiet Kenny é uma gravação realizada em 1959 e conta com uma excelente seção rítmica com o pianista Tommy Flanagan, o baixista Paul Chambers e o baterista Art Taylor. Podemos ouvir um Kenny Dorham maduro musicalmente, projetando as idéias com naturalidade e abandono. Sua composição Lotus Blossom se tornou um clássico do repertório jazzístico, Blue Friday e Blue Spring Shuffle são as outras composições do líder no álbum. Um álbum com tal título não poderia dispensar as baladas e em My Ideal podemos ouvir o lirismo do trompetista de forma límpida. Old Folks tem uma interpretação muito inspirada, Alone Together em andamento lento e I Had The Craziest Dream completam o set de baladas. Um espirituoso Mack The Knife encerra a audição com solo vigoroso de Kenny Dorham e o suporte sempre perfeito do trio rítmico.
Kenny Dorham não teve o reconhecimento merecido de seu valor como artista pelo grande público, não obtendo a mesma popularidade de um Dizzy, Lee Morgan, Clifford Brown, Freddie Hubbard e etc, mas seu estilo melódico e emotivo foi reconhecido pelos músicos, gravando com Thelonious Monk, Sonny Rollins, Tadd Dameron, John Coltrane, Max Roach e até músicos de vanguarda como Cecil Taylor.
Kenny Dorham (tp) Tommy Flanagan (p) Paul Chambers (b) Art Taylor (d) Rudy Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, NJ, November 13, 1959
1- Lotus Blossom
2- My Ideal
3- Blue Friday
4- Alone Together
5- Blue Spring Shuffle
6- I Had The Caziest Dream
7- Old Folks
8- Mack The Knife
 
1 comentário

Publicado por em 4 de março de 2009 em art taylor, kenny dorham, paul chambers, tommy flanagan

 

Sonny Rollins Quartet & John Coltrane – Tenor Madness (1956)

Para encerrar essa série de postagens de álbuns gravados para a Prestige em 1956, escolhemos “Tenor Madness” com o quarteto de Sonny Rollins e a participação de John Coltrane na faixa título. Bob Weinstock reuniu o trio base do então célebre quinteto de Miles Davis – Red Garland, Paul Chambers e Philly Joe Jones – para dar suporte a uma das sensações do sax tenor na década de 50, Sonny Rollins. Coltrane participa como convidado na faixa título, um original de Rollins feito especialmente para a ocasião. Rollins ainda comparece com mais um tema, “Paul’s pal” dedicado ao contrabaixista Paul Chambers. Dois standards: “When Your Lover Has Gone” e “The Most Beautiful Girl In The World “, e uma releitura do clássico de Debussy “My Reverie” completam esse histórico álbum. “Tenor Madness” foi um marco na discografia do jazz, alimentando as discussões, na época, sobre quem era o mais influente sax tenor do jazz de então, Sonny Rollins ou John Coltrane. Você decide!
Sonny Rollins (ts) John Coltrane (ts, faixa 1) Red Garland (p) Paul Chambers (b) Philly Joe Jones (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, May 24, 1956
1. Tenor Madness (Sonny Rollins)
2. When Your Lover Has Gone (Einar A. Swan)
3. Paul’s Pal (Sonny Rollins)
4. My Reverie (Larry Clinton/Claude Debussy)
5. The Most Beautiful Girl In The World (Richard Rodgers/Lorenz Hart)
 

The Prestige All Stars – Tenor Conclave (1956)

Convidamos o leitor a continuar a conhecer as sessões organizadas pelo “boss” da Prestige, Bob Weinstock, no final de 1956. Uma batalha de tenores aconteceu em setembro daquele ano nos estúdios de Rudy Van Gelder. Hank Mobley, John Coltrane, Zoot Sims e Al Cohn protagonizaram um clássico na discografia do jazz, “Tenor Conclave”. Mobley escreveu dois originais especialmente para a ocasião: a faixa título e “Bob’s Boys”. “Just You, Just Me” e “How Deep Is The Ocean” completam os títulos da sessão. O ouvinte tem o prazer de acompanhar a música genial desses quatro músicos tendo toda as informações da estrutura dos temas como: ordem nas intros, nas bridges, nos solos, duração dos mesmos em compassos ou chorus; tudo isto muito bem escrito por Ira Gitler, um dos maiores autores e estudiosos do jazz, nas notas de contracapa. Red Garland, Paul Chambers e Art Taylor completam o combo. Sendo o leitor um religioso ou não, não deverá perder um só segundo desse conclave.
Al Cohn, John Coltrane, Hank Mobley, Zoot Sims (ts) Red Garland (p) Paul Chambers (b) Art Taylor (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, September 7, 1956
1- Tenor Conclave
2- Just You, Just Me
3- Bob’s Boys
4- How Deep Is The Ocean?
 

Jimmy Heath Sextet – The Thumper (1959)

Nascido na Philadelphia em 1926, Jimmy Heath vem de uma família muito musical, seus irmãos Percy, contrabaixista e Albert, baterista, foram importantes músicos na cena jazzística. Começou sua carreira nos anos 40, tocando com Howard McGhee (47-48) e na orquestra de Dizzy Gillespie (49-50). Saxofonista, compositor, arranjador e educador, Jimmy trabalhou com um grande número de importantes músicos, teve suas composições e arranjos interpretados por gigantes como Miles Davis, Chet Baker, Art Pepper entre outros. Apelidado de “Little Bird” por sua semelhança com o estilo de Charlie Parker no sax alto, no início dos anos 50 passou a se dedicar prioritariamente ao sax tenor, nesse instrumento tinha como maior apreciador de sua música nada mais nada menos do que John Coltrane. Em meados dos anos 70 e princípio dos 80 organizou junto com seus irmãos o importante grupo “The Heath Brothers”.
“The Thumper”, gravado em 1959 para a Riverside, é um de seus mais apreciados álbuns até hoje. Ao seu lado, na linha de frente, o cornetista Nat Adderley e o trombonista Curtis Fuller, secundados por uma precisa cozinha com o genial Wynton Kelly ao piano, Paul Chambers no contrabaixo e seu irmão Albert na bateria. No repertório alguns standards e suas composições que se tornaram verdadeiros cavalos de batalha para muitos músicos, como “For Minors Only”.
Nat Adderley (cor) Curtis Fuller (tb) Jimmy Heath (ts) Wynton Kelly (p) Paul Chambers (b) Albert “Tootie” Heath (d)
NYC, November 27, 30, 1959
1. For Minors Only
2. Who Needs It?
3. Don’t You Know I Care
4. Two Tees
5. The Thumper
6. New Keep
7. For All We Know
8. I Can Make You Love Me
9. Nice People
 

Jimmy Heath Sextet – The Thumper (1959)

Nascido na Philadelphia em 1926, Jimmy Heath vem de uma família muito musical, seus irmãos Percy, contrabaixista e Albert, baterista, foram importantes músicos na cena jazzística. Começou sua carreira nos anos 40, tocando com Howard McGhee (47-48) e na orquestra de Dizzy Gillespie (49-50). Saxofonista, compositor, arranjador e educador, Jimmy trabalhou com um grande número de importantes músicos, teve suas composições e arranjos interpretados por gigantes como Miles Davis, Chet Baker, Art Pepper entre outros. Apelidado de “Little Bird” por sua semelhança com o estilo de Charlie Parker no sax alto, no início dos anos 50 passou a se dedicar prioritariamente ao sax tenor, nesse instrumento tinha como maior apreciador de sua música nada mais nada menos do que John Coltrane. Em meados dos anos 70 e princípio dos 80 organizou junto com seus irmãos o importante grupo “The Heath Brothers”.
“The Thumper”, gravado em 1959 para a Riverside, é um de seus mais apreciados álbuns até hoje. Ao seu lado, na linha de frente, o cornetista Nat Adderley e o trombonista Curtis Fuller, secundados por uma precisa cozinha com o genial Wynton Kelly ao piano, Paul Chambers no contrabaixo e seu irmão Albert na bateria. No repertório alguns standards e suas composições que se tornaram verdadeiros cavalos de batalha para muitos músicos, como “For Minors Only”.
Nat Adderley (cor) Curtis Fuller (tb) Jimmy Heath (ts) Wynton Kelly (p) Paul Chambers (b) Albert “Tootie” Heath (d)
NYC, November 27, 30, 1959
1. For Minors Only
2. Who Needs It?
3. Don’t You Know I Care
4. Two Tees
5. The Thumper
6. New Keep
7. For All We Know
8. I Can Make You Love Me
9. Nice People