RSS

Arquivo da categoria: red garland

Sonny Rollins Quartet & John Coltrane – Tenor Madness (1956)

Para encerrar essa série de postagens de álbuns gravados para a Prestige em 1956, escolhemos “Tenor Madness” com o quarteto de Sonny Rollins e a participação de John Coltrane na faixa título. Bob Weinstock reuniu o trio base do então célebre quinteto de Miles Davis – Red Garland, Paul Chambers e Philly Joe Jones – para dar suporte a uma das sensações do sax tenor na década de 50, Sonny Rollins. Coltrane participa como convidado na faixa título, um original de Rollins feito especialmente para a ocasião. Rollins ainda comparece com mais um tema, “Paul’s pal” dedicado ao contrabaixista Paul Chambers. Dois standards: “When Your Lover Has Gone” e “The Most Beautiful Girl In The World “, e uma releitura do clássico de Debussy “My Reverie” completam esse histórico álbum. “Tenor Madness” foi um marco na discografia do jazz, alimentando as discussões, na época, sobre quem era o mais influente sax tenor do jazz de então, Sonny Rollins ou John Coltrane. Você decide!
Sonny Rollins (ts) John Coltrane (ts, faixa 1) Red Garland (p) Paul Chambers (b) Philly Joe Jones (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, May 24, 1956
1. Tenor Madness (Sonny Rollins)
2. When Your Lover Has Gone (Einar A. Swan)
3. Paul’s Pal (Sonny Rollins)
4. My Reverie (Larry Clinton/Claude Debussy)
5. The Most Beautiful Girl In The World (Richard Rodgers/Lorenz Hart)
 

The Prestige All Stars – Tenor Conclave (1956)

Convidamos o leitor a continuar a conhecer as sessões organizadas pelo “boss” da Prestige, Bob Weinstock, no final de 1956. Uma batalha de tenores aconteceu em setembro daquele ano nos estúdios de Rudy Van Gelder. Hank Mobley, John Coltrane, Zoot Sims e Al Cohn protagonizaram um clássico na discografia do jazz, “Tenor Conclave”. Mobley escreveu dois originais especialmente para a ocasião: a faixa título e “Bob’s Boys”. “Just You, Just Me” e “How Deep Is The Ocean” completam os títulos da sessão. O ouvinte tem o prazer de acompanhar a música genial desses quatro músicos tendo toda as informações da estrutura dos temas como: ordem nas intros, nas bridges, nos solos, duração dos mesmos em compassos ou chorus; tudo isto muito bem escrito por Ira Gitler, um dos maiores autores e estudiosos do jazz, nas notas de contracapa. Red Garland, Paul Chambers e Art Taylor completam o combo. Sendo o leitor um religioso ou não, não deverá perder um só segundo desse conclave.
Al Cohn, John Coltrane, Hank Mobley, Zoot Sims (ts) Red Garland (p) Paul Chambers (b) Art Taylor (d)
Rudy Van Gelder Studio, Hackensack, NJ, September 7, 1956
1- Tenor Conclave
2- Just You, Just Me
3- Bob’s Boys
4- How Deep Is The Ocean?
 

Art Taylor – Taylor’s Wailers (1957)

Art Taylor foi um dos principais bateristas do hardbop ao lado de Art Blakey e Louis Hayes. Em Taylor’s Wailers um sexteto com expoentes do gênero interpretam temas originais, duas pérolas da pena de Thelonious Monk – Off Minors e Well You Needn’t – e uma de Jimmy Heath – C.T.A. que é apresentada por um quarteto com a presença de John Coltrane. O álbum é um dos pontos altos das sessões organizadas pela Prestige em 1957, um ano especialmente prolífico em grandes gravações.
Donald Byrd – (trumpet); *John Coltrane – (tenor sax); Jackie McLean – (alto sax); Charlie Rouse – (tenor sax); Ray Bryant – (piano); *Red Garland – (piano); Wendell Marshall – (bass); *Paul Chambers – (bass); Art Taylor – (drums)
Recorded by Rudy Van Gelder at the Van Gelder Studio, Hackensack, New Jersey, February 25 and March 22, 1957
1. Batland
2. C.T.A. *
3. Exhibit A
4. Cubano Chant
5. Off Minor
6. Well, You Needn’t
 

Charlie Parker – At Storyville (1953)

Esse único ítem do imenso catálogo da gravadora Blue Note com Charlie Parker mostra Bird em duas apresentações realizadas no clube Storyville em março e setembro de 1953 em Boston. Ambas foram transmitidas pela rádio local WHDH com direito a apresentador/mestre de cerimônias (sic), cidadão tão gentil que solenemente interrompeu o solo de Red Garland em Out of Nowhere tagarelando enquanto o pianista desenvolvia seu solo. Na apresentação do dia 10 de março Bird estava à frente de um quarteto e a de 22 de setembro com a formação de quinteto. 1953 foi um período especialmente dificil para Parker, livre de uma crise depressiva e da heroína, seu consumo de álcool era imenso. Apesar disso sua performance no sax alto era sempre notável. Durante esse período de sua carreira Bird não conseguia manter um grupo estável, servia-se de alguns músicos locais e amigos que sempre admirararam sua música e nunca se afastaram definitivamente do convívio, difícil, com Parker. Esse é exatamente o caso dos bateristas Kenny Clarke – na formação de quinteto e Roy Haynes – no quarteto. Destaque para a rara oportunidade de ouvir-mos Bird acompanhado pelos pianistas Tommy Flanagan e Sir Charles Thompson.
Charlie Parker Quartet
Charlie Parker (as) Red Garland (p) Bernie Griggs (b) Roy Haynes (d) WHDH radio broadcast, “Storyville”, Boston, MA, March 10, 1953
Moose The Mooche, I’ll Walk Alone, Ornithology, Out Of Nowhere
Charlie Parker Quintet
Herb Pomeroy (tp) Charlie Parker (as) Sir Charles Thompson (p) Jimmy Woode (b) Kenny Clarke (d) WHDH radio broadcast, “Storyville”, Boston, MA, September 22, 1953
Now’s The Time, Don’t Blame Me, Dancing On The Ceiling, Cool Blues, Groovin’ High
 

John Coltrane Quintet – Standard Coltrane (1958)

Coltrane ao lado de 3 integrantes do quinteto de Miles Davis e do trompetista Wilbur Harden em sessão para a Prestige. Um clássico do hardbop.
John Coltrane (ts); Wilbur Harden (tp, fh); Red Garland (p); Paul Chambers (b); Jimmy Cobb (d) Recorded at the Van Gelder Studio, Hackensack, New Jersey on July 11, 1958.

1. Don’t Take Your Love From Me
2. I’ll Get By (As Long As I Have You)
3. Spring Is Here
4. Invitation